terça-feira, outubro 09, 2012

FICADICADABICCA!

quarta-feira, setembro 19, 2012

Diário de uma doma 1

Pois então...
Hoje vou começar um trabalho novo, uma potra de corrida chegou segunda feira dia 17 aqui no Gallop para domar.
Pretendo, mas não prometo, fazer um diário dessa empreitada. Vamvê se rola.

Então vai lá:

DIARIO DE BORDO data estelar 21.229

Só o que eu sei da belezura é o que deu prá sentir no dia que chegou, abaixo de trovoadas e chuva mega blaster. Era 16hs e parecia noite, raios enfurecidos por tudo o que é lado.
Desci a potra, doravante Potra...e como deu coloquei-a na baia. Fiquei quase 1h observando-a para colher dados sobre seu temperamento.

Bueno...olhos querendo saltar das órbitas e ela saltar da baia. Bufava mais que trem...bastante inquieta...de vez em quando passava por sua a cabeça a idéia de se atirar para fora da baia..
Na minha experiencia, o melhor é ficar perto, dar moral e estudar bem e fazer o tema de casa para quando eu for tirá-la da baia para trabalharmos um pouco. Informação é poder.

No dia seguinte....cai o mundo...vejo alguns casais de sapos, ratões, lebres se formando e indagando onde pegar ficha para a fila da arca... Potra e eu ficamos só no namoro, sequinhas pero ansiosas...ela já mais tranquila pero no mucho.

E hoje, agora, dicapoco é a hora. Vou sair com ela....coração na goela....excitação...entusiasmo e apreensão me acompanham como sempre.


Na volta eu conto como foi.

sexta-feira, setembro 07, 2012

SEDA E EU

Bacana essa enterview

quinta-feira, junho 21, 2012

Shakira e Tradição dia 1


Dia 1. 
De tudo o que eu faço, o momento mais excitante é esse. Quando vou conhecer um novo parceiro de trabalho. É muito estimulante esse começo de história juntos. Nossa que minha cabeça vai a mil por hora. Olhos e ouvidos arreganhados, muita hora nessa calma. O primeiro olho no olho, ficar a postos para responder todas as perguntas que ele tem para me fazer...



"prá que time voce joga? Predadors ou Preys?"
"preciso me defender de voce? preciso fugir?"
"voce é bom o suficiente para ser meu líder?"
"o que voce espera de mim?"



e tantas outras mais... e no meio dessas perguntas, me contando a história dele até hoje...com riqueza de detalhes maior do que qualquer tratador, proprietário ou treinador pode me dar, e com certeza absolutamente mais verossímeis.

E eu peerguntando para ele até que momento é melhor respirar, me movimentar, pedir, cobrar....que caminho ele prefere que eu escolha para chegarmos ao objetivo final ...

Minha maneira de trabalhar é muito simples, não tem nada demais, quase banal. Mas voces não imaginam a trabalheira que me deu chegar até aqui, e o quanto falta ainda de trabalho para eu ficar boa para trabalhar com os cavalos.

Meu trabalho: eu me coloco disponível totalmente ao cavalo que estou, 100% para ele, 100% de concentração, 100% de esforço para me comunicar claramente. Também cobro com a atitude correta de um bom líder exatamente o mesmo que estou dando. Para mim existe prioridades a serem traçadas.

Primeiro passo: muitas perguntas minhas e dele serem respondidas. Informação é poder.


DIÁRIO DA SHAKIRA E TRADIÇÃO


Tradição e Shakira chegaram hoje de Pelotas.
O objetivo deles é
Tradição correção comportamental. Segundo a dona se boleia e já passou por poucas e boas na tentativa de mudar esse hábito pouco saudável para os cavaleiros.
Shakira - terminar a doma iniciada pela proprietária.


Não vejo a hora de estar com eles no redondel, conhecer a história de cada um, contada por eles mesmos. Coletar dados, traçar estratégias de trabalho...nossa essa é a parte que eu acho mais estimulante. Começar uma relação...abrir um canal de comunicação com eles, observar muito e tentar captar a melhor maneira de traze-los para meu time e formar uma união forte o suficiente para mudar e crescer.

Ô noite demorada para passar...


Segue aqui o relato da minha aluna  e proprietária sobre os causos dos babies dela

Se me dissessem, nessa mesma data, ano passado, que hoje traria minha potra de 6 anos e meu cavalo problemático pra Porto Alegre com todo esse empenho, pensaria: Eu? Mas não dá pra dar um "trato" nesse cavalo? Essa potra? Eu não tenho quem dome mais perto?
Mas…
Fatos, geram escolhas que geram outros fatos e que geram…
Acaba que o Tradição (cavalo "problemático") depois de várias doloridas tentativas sempre acabava se boleando e colocando em risco o ginete e a si mesmo, logo ali alguém se feriria e aconteceu: O ginete, num ato instintivo acabou por levar a primeira ferramenta que lhe veio a mão de encontro a cabeça do animal, resultado, cavalo com ferimento no olho, ginete mancando e patroa apavorada.
E agora? Tem que ser assim??
Comecei uma busca na internet sobre equinos, temperamento, doma racional, gineteada, doma de 21 dias e tudo que ia aparecendo no Google e Youtube sobre o assunto. Fui ficando bem interessada, bem mais que eu imaginava, comprei um livro. Vou pegar a potra. Segui a risca tudo que o livro mandava, levei mordida, coice…tudo bem é potra. Apesar disso desenvolvi um carinho por ela que em todo o tempo que andei a cavalo ainda não desenvolvera, mas tava muito insegura e com medo, continuei.
Um dia fui ao escritório de um veterinário amigo meu que me disse: "Tás domando? Adiciona a Denise Bicca no Facebook, vais adorar o trabalho dela!". Adicionei e comecei a acompanhar o trabalho dela desde Blog da Muié dos cavalo, site, entrevista com Tulio Millman, Nescau, Toddy, Negro, Quali…fiz o curso Horsemanship, me encantei e mais descobri que agora posso, além de apenas não concordar com os métodos de doma usados aqui no Sul, propor um entendimento entre homem e cavalo o qual jamais imaginara. Logo;
Cá estamos nós, eu, Tradição e Shakira prontos pra aprender muito sobre Horsemanship.
                                                                  Ass. Raquel Nussbaum

quinta-feira, maio 24, 2012

Herói, meu herói!

quarta-feira, maio 23, 2012

Curso Horsemanship dias 25 a 27 de maio

quinta-feira, maio 17, 2012

Entrevista sobre Empreendorismo


Achei isso aqui furunfando no meu note...vou ponhar aqui prá mó de me conhecerem um pouco mais...

Fale um pouco sobre suas origens , sua família.
Meu pai Antonio Augusto Fernandes de Belém do Pará, desembargador, conheceu minha mãe Nely Bicca Fernandes, professora, do Alegrete por correspondência durante a II Guerra Mundial...dele aprendi a ser justa acima de qualquer coisa e dela o gosto por ensinar. Irmã Jussara Bicca Fernandes Vargas, professora, minha segunda mãe e irmão Jorge Luiz Bicca Fendandes, advogado. Ninguém com ligação com cavalos ou campo, mas todos apoiando uns aos outros no que quer que seja.

Como você se vê como pessoa?
Visão do bem: forte, inteligente e criativa.
Visão do mal: temperamental, intransigente e impaciente

Quais as suas características pessoais mais importantes para seu empreendimento?
Obstinação e paixão. Criatividade e senso de humor. Cavalos são a minha vida, causa da minha existência, logo, não há mistério...é só continuar respirando.

Como surgiu a idéia de ser empreendedor?
Como falei anteriormente, não surgiu uma idéia...tive a sorte de que o meu vício fosse cavalos e eu pudesse viver dele.

Como sua empresa começou?
Buscando uma divulgação maior da forma de entender e treinar o cavalo sob a ótica científica e comportamental, já com forte influência dos princípios do Natural Horsemanship, fundei em 1998, seu próprio centro hípico, o Centro Equestre Gallop, com o objetivo de formar cavalos, cavaleiros e profissionais. Anos depois surgiu o Denise Bicca Horesmanship, que passou a trabalhar especificamente com comportamento e bem estar eqüino.


Você pensou sobre isso por muito tempo antes de realmente começar o negócio?
Nada. Nem um pouco. Fui fazendo. Na verdade o processo funciona assim: sonho bastante, escolho um deles e corro atrás. Pensar de forma objetiva é uma coisa meio complicada para mim, sempre preciso de ajuda nesse aspecto. Sou pessoa impulsiva e sabendo disso hoje me cuido bastante para não cometer os erros de antes.

Você já havia considerado a possibilidade de abrir um negocio como opção de vida?
Na verdade minha idéia sempre foi trabalhar com cavalos. A visão disso como negócio foi acontecendo com o tempo e com a necessidade de ganhar dinheiro para continuar a brincadeira. Nunca me importei com a necessidade de ganhar dinheiro, mas com o tempo percebi que se eu quisesse crescer no meu ofício haveria a necessidade de investir, logo, precisei aprender a ganhar dinheiro.

Como você identifica oportunidades?
Na verdade a impressão que eu tenho é que elas me atropelam, precionam até me tirar da minha inércia habitual. Invejo aquelas pessoas que descobrem coisas primeiro que todo mundo e acham uma maneira criativa e diferenciada de se sair bem. Mas por outro lado, no meu meio, sempre estive a frente da maioria por identificar o que é melhor para o cavalo. Tanto que hoje está se falando sobre bem estar e comportamento eqüino, o que eu comecei a falar há 20 anos atrás.

Como aprende hoje? Tem método próprio?
Não sei se é próprio. Estudo bastante vou a congressos, workshops, procuro treinar com os melhores de cada área, leio e não deixo de ter dúvidas sobre o que eu faço sempre. Cuido para não cair na armadilha de achar que eu já sei o bastante porque ai a mediocridade chega e a evolução vai embora.

Tem um sistema para soluções de problemas? Sim, insônia.

Como lida com o fracasso ?
Essa foi a pergunta que mais me fez pensar. Fracasso....fracasso...
A palavra não me cai bem. Não acredito em fracasso.
O que podemos combinar é o seguinte. Na véspera da minha morte, me pergunta de novo que ai vou poder responder. Fracasso para mim seria isso...quando eu não puder fazer mais nada para mudar uma situação;
Posso estar entendendo errado o significado da palavra.
O que existe muito são frustrações no meu trabalho. Coisas que não saem como eu quero, dificuldades que estão presentes em qualquer ofício. Com elas eu lido assim: me irrito, não tiro da cabeça, até cansar, dou um passo para trás para pegar impulso e me arranco para frente com mais vontade. 
Sou bastante competitiva e quanto mais difícil a coisa, mais estimulada me sinto. Perco um jogo mas não perco o campeonato.


Em que área gosta mais de se concentrar? Na parte de recuperação de cavalos. Pegar um animal em estado calamitoso e ver que conseguimos superar as dificuldades e ficarmos grandes, interessantes e desejáveis. E atualmente penso muito num projeto para fazer isso com pessoas, jovens estão sem opção de vida e ensinar um ofício e o que

Você se envolve com a rotina, com as operações do dia- a dia?
Essa é parte mais difícil para mim no meu trabalho. Tenho muita dificuldade com rotina.Não posso dizer que tenho um dia igual ao outro. Para isso me acessoro com pessoas que podem suprir essas minhas dificuldades.

Como controla as coisas? Sou extremamente detalhista e exigente.

Quantas horas por dia você trabalha? Trabalha aos sábados e domingos?
Não trabalho.

Tira férias?
Não preciso

Pensa em se aposentar?
Tenho medo, espero que não precise. Aposento num dia, morro no outro.

Como você convence as pessoas a realizar o seu sonho?
Não sei se consigo convencer, mas certamente tento contagiar.

Como descreveria a si próprio como líder do empreendimento?
Sou difícil de ser acompanhada, mas justa e apaixonada. Não tenho temperamento fácil mas sou completamente (muitas vezes duramente) transparente. Sou crítica com todos e comigo também. Não tento ficar arranjando desculpas para os meus defeitos e faço isso com que está comigo.

O que você diria que é diferente na maneira como lida comanda seus negócios
A bagunça é grande.
Infelizmente, a ética com que trabalho é rara  a ponto de eu dizer que isso é diferente do resto.

Para onde você direciona seus esforços?
Para que as pessoas entendam realmente como funciona o cavalo e o que é cuidar bem dele.

O que lhe da mais satisfação ?
Cavalos, estar junto deles, falar sobre eles, me exibir com eles.

O que acha do erro ?
Necessário. Doloroso mas necessário.

O quanto você diria que a imaginação é importante para o sucesso ?
Para mim, fica no ranking ao lado da água que eu bebo.

O que intuição para você ? Qual a importância da intuição no seu empreendimento ?
Não me considero uma pessoa muito intuitiva. Para falar a verdade nem sei bem o que é isso. Faço a coisa mais na base do raciocínio lógico, que me serve bem.

Qual o fator mais importante para o sucesso do seu empreendimento ?
Ter lido o livro “O homem que ouve cavalos” do Monty Roberts e assistir o trabalho de um horseman ao vivo. Foram a resposta ao que eu queria fazer com a minha vida com cavalos.

Que critérios você usa na seleção do seu pessoal ?
Sou bem observadora e considero ter uma leitura bem boa sobre as pessoas. Faço entrevistas e principalmente ouço a opinião dos meus cavalos sobre as pessoas, eles são meus principais conselheiros.

Você estabelece metas? Não. Mas estou tentando trabalhar nisso porque é absolutamente necessário no momento em que me encontro.

Qual a posição do mercado aos seus serviços?
Putz me pegou. Ando bem eu acho. Acho que estou num momento ótimo de trabalho, sou reconhecida e há muita procura para o meu trabalho. Quero aproveitar ao máximo esse momento e evoluir muito mais.

O que diria a alguém que pensa em iniciar um negocio ?
Não faça isso por dinheiro.

sábado, maio 12, 2012

Curso Denise Bicca Horsemanship em Imperatriz do Maranhão

quinta-feira, maio 10, 2012

Dicas Denise Bicca Doma³

quarta-feira, maio 09, 2012

É brincando que se ensina.

Para refletir




Pois coloquei o vídeo ai para reflexão....o assunto é sério! Por favor! Tirem essa cara de riso de cima dos pescoço!

Estudo da cena:

Tarefa: carregar o tadinho do jogador esgualepado para fora do campo numa maca.

Logística: uma maca, duas pessoas para carregar a maca, campo de futebol gramadinho cosa mais linda.

Meio de comunicação: sinais.

Beleza.

Agora reparem no seguinte...

Existe um momento de dúvida entre os dois hómi, sobre que direção tomar...

Logo e prontamente após o dilema, o lider assume seu posto e sinaliza claramente para o liderado: - vá para lá!

Liderado, assumindo também prontamente a direção indicada (claramente repito eu), inicia seu trabalho, submisso e compenetrado.

O que acontece depois? O que?!

Parem de rir por favor já disse que o assunto é sério!

O que acontece?

O lider toma a direção oposta a que mandou o liderado ir e com isso ferra o liderado, que despenca como uma abóbora podre sobre o verde solo.

Bueno. Vamos para uma segunda cena, que imagino que todos os que praticam esportes equestres já presenciaram, se já não cometeram....
Tarefa: cavaleiro colocar um cavalo para frente...ou se preferirem, deixar o cavalo leve na perna, fazer alongar o galope, despachar, fazer o bicho deixar de ser fresco, desembuchar...

Logística: um cavalo, um cavaleiro, um par de esporas, chicote, etc, etc, etc

Meio de comunicação: sinais

O cavaleiro toca o cavalo a milhão, enfiando suas esporas costelas adentro, agitando os braços, chupano no beiço, xingando, batendo as pernas como se quisesse levantar vôo com o quadrúpede.
Imediatamente após o cavalo assumir a tarefa e correr como sua vida dependesse disso, do nada sem nenhuma pista, o liderado resolve se atirar para tras com toda a força e puxar as rédeas com toda a força  para que ele pare imediatamente...e quem sabe também para extrair-lhe alguns molares que julga desnecessários...

Conseguem ver a semelhança?

Para mim as duas cenas são muito semelhantes.

A unica diferença que vejo entre as duas é que no segundo caso, o cavalo se ferra muito mais do que o liderado 1, que só feriu o ego ao cair na frente de milhares de torcedores.

terça-feira, maio 08, 2012

Dicas Denise Bicca Doma²

segunda-feira, maio 07, 2012

Nossas idéias

Súplica da Muié

Eu sonho com o dia em que os treinadores de cavalos treinem seu sentimento com tanto empenho quanto treinam seus cavalos. 

Quando esse dia chegar, os cavalos terão chance de realizar as tarefas impostas com muito mais saúde e fisica e mental, chegando assim mais fácil e mais vezes ao pódium tão almejado por todos os treinadores, criadores, proprietários e torcedores.

 O que eu chamo de treinar o sentimento não é treinar carinho, amor, meiguice, embora essas coisas e canja de galinha não façam mal a ninguém.

Treinar sentimento é treinar o olhar, a leitura, sair do seu universo umbigal e se colocar à disposição do cavalo, para completar o que seria necessário para um bom salto, uma boa corrida ou um spin para plus one. É enxergar o esforço do cavalo em realizar o que estão pedindo, e  imediatamente recompensar isso. Entendendo finalmente que o cavalo aprende pelo alívio da pressão, e não pela tortura continuada.

Treinar sentimento é perceber que um cavalo que está trabalhando há meia hora com o focinho preso ao seu peito por uma série de ferros enfiados em sua boca e por esporas cutucando dolorosamente seus flancos incessantemente, pode reclamar, soltar um coice, endurecer mais ainda sua boca e que isso não é desrespeito ou burrice...é pura defesa! 

Treinadores do Brasil, eu imploro, em nome do cavalo! Assumam mais responsabilidades, exijam mais habilidade física de si mesmos assim como cobram isso de seus cavalos. Emagreçam! Parem de beber tanto! Ajam como atletas! Sejam mais leves, pensem mais leve! Tenham mãos e pernas mais sincronizadas e menos cruéis.  Alonguem-se, montem com o corpo todo e acreditem que cavalos galopam, param e saltam também com o corpo todo, não só com a boca!

E por último, eu peço encarecidamente... não esqueçam de incluir o cavalo em seus planejamentos de performance e vitória.

quinta-feira, maio 03, 2012

Nossos próximos cursos



segunda-feira, abril 23, 2012

Um Domingo Especial


E ai pessoal!! 
Aqui quem escreve é a Aline. Vim contar para vocês sobre o dia ilustre que tivemos!
  Na tarde do domingo deste que passou, 22 de abril, a Muié recebeu uma visita internacional. A alemã Jana Widdecke que trabalha com nada mais, nada menos que Monty Roberts ou apenas Monty, jeito íntimo que ela se refere ao mestre. 
 Jana está em passagem rápida pelo Brasil, acompanhando o horseman num show que ele fará na próxima sexta-feira, em São José, cidade catarinense próxima a Florianópolis. Apesar do tempo corrido para fazer turismo por algumas cidades do sul do país e ainda organizar a apresentação, ela descobriu a Muié com uma busca rápida no Google e ao assistir alguns de seus vídeos viu que “definitivamente tinha conhecê-la” como ela mesma narrou num inglês germânico bastante característico. A visita foi rápida, mas o tempo foi suficiente para que as duas apaixonadas por cavalos pudessem conversar sobre seus trabalhos e ver que as afinidades vão além da admiração que ambas tem por Monty Roberts.
 Jana teve seus primeiros contatos com a técnica do natural horsemanship quando tinha 17 anos. Fez um curso que deu a ela o certificado de Monty Roberts Instructor tornando-a parte de um seleto grupo de instrutores que trabalham diretamente com Monty Roberts repassando os seus métodos e filosofia pelo mundo todo. Nesse meio tempo, estudou fotografia e jornalismo em Berlim sempre com o intuito de escrever e registrar os momentos dos cavalos. Simpática e falante, Jana afirmou que está planejando vir morar no Brasil com o namorado, o francês Tebon e que certamente o lugar escolhido é o sul do Brasil. Prometeu ainda na próxima visita a Muié ficar mais tempo e comer um churrasco, já que o chimarrão ela tomou e aprovou. “Delicious”, foi a definição.
  Agora, vamos torcer para que a alemã volte mesmo ao Gallop e que juntas, ela e a Muié, semeem, cultivem e colham cada vez mais os frutos do bom horsemanship pelo Brasil afora.
Jana, Muié e Noni


Denise e Nescau, mostrando "o que é que o horsemanship brasileiro tem"...
       Tebon, Jana, Denise num bate papo entusiasmado adivinhem sobre o que...

domingo, abril 22, 2012

A Muié Convida

sábado, abril 21, 2012

Curso Horsemanship em maio

sexta-feira, abril 20, 2012

Making off mil

quarta-feira, abril 18, 2012

IMPRINTING

Preocupação

sábado, abril 07, 2012

DENISE BICCA CONVIDA

Denise Bicca Convida²

sexta-feira, março 23, 2012

quarta-feira, março 21, 2012

Não é o destino...é a viagem

Venerável puuuublicooooo

terça-feira, fevereiro 21, 2012

Mario Luraschi

E tem gente boa nesse mundo...credo!

domingo, fevereiro 19, 2012

Aos treinadores

Vamos ver se este vídeo inspira certos treinadores que

pensam que são eles a peça fundamental para a performance

equestre.



Botocudos!Pliz!

Não atrapalhem e deixem o verdadeiro artista trabalhar.


Tentem acompanhar sem atravessar o ritmo ok?



quinta-feira, fevereiro 16, 2012

Muié em audiência pública

Amanhã, a convite da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo, estarei na Audiência Pública, às 19h, no CTG João Sobrinho, na rua Tapera dos Quadros, nº 100 (passando o acesso secundário de Capão da Canoa, na estrada do mar em direção à Torres, dobrar à esquerda no próximo trevo, depois entrar na primeira rua a esquerda), no município de Capão da Canoa, durante a 28ª Cavalgada do Mar, com o seguinte tema:

- Construção de uma política pública de apoio a eventos equestres e fomento à equinocultura para geração de emprego e renda.

Vou falar sobre bem-estar eqüino e a necessidade da formação de mão de obra qualificada para o manejo em todas as modalidades eqüestres.


Quem estiver por lá....dê um pulo!

quinta-feira, fevereiro 09, 2012

Aos alunos, com carinho

sexta-feira, fevereiro 03, 2012

LAVEI MINHA ALMA

MARCÍLIO E HERÓI FON! PARABÉNS! LAVAMOS A ALMA. NÓS SABEMOS A DUREZA QUE FOI NÉ? POIS NÓS ESTAVAMOS LÁ TODAS AS MANHÃS NO PARTIDOURO RALANDO SOLITARIAMENTE DURANTE MAIS DE 3 MESES PARA TUDO ACONTECER ENQUANTO OUTROS OBSERVAVAM E PALPITAVAM À DISTANCIA, SENTADOS À SOMBRA DE UMA PITANGUEIRA. DIGAM O QUE QUISEREM, PARTIDOUROS NOVOS A PARTE, O BUÇAL É DE HORSEMANSHIP E O CAVALO É SEMPRE ESPETACULAR E AGRADECE QUANDO NÃO O ATRAPALHAM!!!!!!!!!!!! IEIIIIIIIIIIII
LAVEI A ALMA.

sexta-feira, janeiro 20, 2012

Jovens amazonas participam do segundo curso de férias





Para equilibrar com a chuva que esteve presente nos primeiros dias de curso no final de semana passado, nesta sexta-feira, sol e calor marcaram o início do segundo curso de horsemanship nas férias. Com o tempo cooperando foi possível realizar todas as atividades ao ar livre e a Muié pode mostrar a teoria junto com a prática.

Temos nesse curso uma visitante ilustre vinda de Pernambuco, a Danielle Diniz. A Dani conheceu a Muié pelo blog, facebook e vídeos na internet. Depois assistiu uma palestra em Garanhuns, PE,e agora veio para Porto Alegre especialmente para participar do curso. Fica no Gallop até a próxima quinta-feira fazendo um intensivo. Ela é advogada, mas está cursando veterinária e pretende usar o que aprender, nesses dias, no estágio que está fazendo em Recife. "Resolvi fazer o curso porque além de achar a Denise a melhor na concepção, não existe em Pernambuco ningém que trabalhe com essa técnica", conta a pernambucana.

Mas o que mais me chamou a atenção nesse curso foram as cinco jovens amazonas. Camila Rainhere, de 17 anos, Valentina Barbieri, 12 anos, ambas da Sociedade Hípica Porto Alegrense, e Luiza Christensen, 14 anos, Laura Donadel e Mabel Christensen, as duas de 11 anos, atletas da Hípica de Santa Rosa. (Estão na primeira foto acima, da esquerda para a direita).É muito legal ver a gurizada mais nova se interessando pelo horsemanship. Geralmente quando temos essa idade estamos mais preocupados em pular obstáculos cada vez mais altos e decorar os percursos das provas equestres. Falo isso por experiência própria, pois dos meus sete aos 15 anos fiz hipismo tendo como treinadora a Muié e apesar de conviver com ela diariamente falando sobre a importância de dar banho no cavalo, levá-lo para pastar, selar e desselar, confesso que essas não eram as coisas que mais me atraíam ou que mais me preocupavam. Então ver essas meninas hoje entusiasmadas com os ensinamentos da Muié e preocupadas com o bem estar dos cavalos foi emocionante. Certamente o contato que elas terão nesses próximos dias com o horsemanship trará resultados que irão muito mais além do que o primeiro lugar no pódio ou o troféu de um campeonato. Parabéns gurias pelo interesse!!


Bom pessoal por enquanto é isso. Sei que estou devendo um post sobre as estagiárias, mas o negócio delas mesmo é lidar com os cavalos, só de falar numa possível entrevista, as duas ficam nervosas. Mas estou tentando uma desensibilização com elas.

Até em breve, Aline Vargas

sábado, janeiro 14, 2012

Começa o primeiro curso de férias com Horsemanship


Olá pessoal! Aqui quem escreve é a Aline, sobrinha da Muié. Curso jornalismo e a Denise me chamou para trabalhar com ela e cuidar do site, blog e divulgação. Espero ajudar, mas acima de tudo aprender os macetes de uma comunicação bem estabelecida como a dela com os cavalos.

Bom, esse final de semana começou o primeiro curso de férias com horsemanship no Gallop. Apesar da chuvarada que não para, os alunos não se abateram e chegaram cheios de interesse e voltada de aprender. No bate papo inicial, conhecemos melhor uns aos outros e ficamos sabendo qual é a principal razão motivadora para se fazer o curso. Acho essa parte sempre bem interesse e por isso resolvi retratar um por um aqui. Vamos lá.

Andria acha demais os cavalos andarem atrás da Muié, quer aprender como fazer isso e principalmente aplicar a técnica do horsemanship nos potros que têm no seu sítio. Ela mostrou a amiga Maira o que se pode fazer com esse tipo de manejo através dos vídeos e fotos que a Muié tem rolando pela internet. Maira se interessou, afinal comprou uma égua e ainda não sentiu confiança de montá-la. Assim, levou com ela suas duas filhas Vitória e Valentina que quando eram bem pequenas praticaram ecoterapia e hoje em dia fazem hipismo.

Marcos, que veio de Livramento especialmente por causa do curso, conta que lida com cavalos desde pequeno ajudando o pai que é domador. Mas apesar da criação, nunca concordou com os tratamentos violentos usados por muitos. É mais ou menos assim que pensa Douglas, um jovem cavaleiro que deixa claro a vontade de aprimorar sua lida com os cavalos através do curso.

Completando o time de alunos está Elisa, amazona que começou há pouco a praticar hipismo e só no olhar já mostra que o que mais quer é ficar perto dos cavalos. Para finalizar, vem as estagiárias Mariana e Rúbia, de quem não vou me aprofundar em detalhes agora, pois em breve pretendo dedicar um post inteiro a elas.

Para aqueles que se identificaram com algum dos citados acima seja pela vontade de aprender, pela insegurança ou curiosidade, a Muié dará outro curso no final de semana que vem, começando no dia 20!! Não percam que a previsão para o próximo é sol!!

Até mais!!

quarta-feira, janeiro 04, 2012

Enquanto a preguiça não me deixa escrever...

domingo, janeiro 01, 2012

FÉRIAS COM HORSEMANSHIP



Cursos Denise Bicca Horsemanship
nas férias de janeiro e fevereiro de 2012. Aulas individuais, com programação personalizada, de acordo com avaliação técnica e de acordo com os interesses do aluno. As turmas são divididas de acordo com seu nível de experiência com cavalos: INICIANTE, INTERMEDIÁRIO E AVANÇADO. Você pode trazer seu cavalo ou utilizar um do Gallop.

CALENDÁRIO

JANEIRO: dias 13, 14 e 15 - 20, 21 e 22 - 27, 28 e 29

FEVEREIRO: dias 10, 11 e 12
Sextas das 15:00hs às 19:00hs / Sábados e Domingos das 9:00hs às 19:00hs

TÓPICOS ABORDADOS:

TRABALHO NO REDONDEL – join-up – desenvolvimento de uma leitura correta do comportamento do cavalo. Estratégia de trabalho e meios de avaliação dos progressos e dificuldades, conquistando concentração e cumplicidade.

GROUNDWORK – uma boa comunicação começa no chão, conquistando o respeito e controle e estabelecendo a liderança sobre o seu cavalo.

EQUITAÇÃO – postura e eficiência na comunicação com o seu cavalo. Torne sua montaria divertida e prazerosa, aumente a confiança da dupla. Embocaduras e material de montaria, tipos e utilização.

MANEJO DIÁRIO DO CAVALO E DA COCHEIRA – segurança, higiene e bem estar. Como aumentar o bem estar através da adaptação do manejo e da rotina diária, evitando vícios de cocheira, acidentes e traumas e prevenindo stress do seu cavalo.

HORSEMANSHIP APLICADO – seja qual for a sua modalidade, enduro, salto, rédeas ou simplesmente passear a cavalo, melhore a sua performance através da aplicação das técnicas e do entendimento maior do comportamento e comunicação eqüina.

VALORES
R$ 400,00 com cavalo R$ 300,00 ouvinte

Solicite mais informações e a ficha de inscrição pelo email gallop@terra.com.br
Locations of visitors to this page